Negócios

Softex divulga balanço com resultados dos projetos realizados em 2014 e presidente, Ruben Delgado, planeja 2015 de inovação

Hoje, de cada US$ 4 exportados em TI, US$ 1 provém de programas desenvolvidos pela Softex

comente:

,

“O ano de 2014 foi um divisor de águas no trabalho que a Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro – Softex vem desenvolvendo já há quase duas décadas no apoio, promoção e fomento da Indústria Brasileira de Software e Serviços de TI – IBSS”. A afirmação é de Ruben Delgado, presidente da entidade, ao analisar a divulgação do Book Softex reunindo os resultados das principais ações conduzidas ao longo do ano passado.

Justificando, ele lembra que a Softex recebeu do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – MCTI a missão de gerenciar operacionalmente dois programas da maior importância para a TI brasileira: o Brasil Mais TI, de estímulo à formação de jovens programadores, e o Start-Up Brasil, com foco na aceleração de empresas de base tecnológica.

A proposta do Brasil Mais TI é despertar o interesse dos jovens para a carreira de programador de TI de modo a reduzir o déficit de profissionais qualificados. Segundo levantamento realizado pelo Observatório Softex, unidade de inteligência, estudos e pesquisas da entidade, esse déficit pode chegar a 408 mil profissionais de TI em 2022. “Isso pode gerar uma significativa perda de receita para o setor e, sob a nossa gestão, esse projeto bateu recordes de acesso, superando a marca de 124.000 estudantes cadastrados e mais de 236.000 cursos realizados”, ressalta.

Já o Start-Up Brasil passou a contar desde julho do ano passado com a expertise da entidade e com a oferta de programas complementares em diversas áreas, tais como inovação, qualidade e inteligência do mercado.

Gráfico com o resultado da entidade

Gráfico com o resultado da entidade

Recursos financeiros superam metas e inovação é a palavra de ordem para este ano
No ano passado, a área Investimentos da Softex deu sequência ao seu trabalho de apoio à obtenção de recursos financeiros para a IBSS. Em 2014, foram alocados R$ 2,5 bilhões do Prosoft e R$ 451,9 milhões em contratações junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES. Foram ainda registrados 230 atendimentos para consultas sobre alternativas de financiamento e capacitadas 37 empresas para a atração de investimentos nas cidades de São Paulo, Brasília, Recife e Rio de Janeiro.

A Softex, através do  Programa TI de Impacto auxiliou 45 empresas de diversas regiões do país a desenvolverem e implementarem a estratégia da inovação em suas organizações. “Com essa iniciativa, demos sequência à nossa estratégia de disseminar na comunidade empresarial brasileira de TI a cultura da inovação. Trata-se hoje de um requisito indispensável para ampliar a participação nacional nos principais mercados globais, já que a inovação é um dos principais motores da competitividade e da escalabilidade”, comenta Ruben Delgado.

Em relação à qualidade, o programa MPS.BR superou a expressiva marca de 600 avaliações no modelo MPS publicadas no site oficial, das quais 620 no modelo MPS de Software (MPS-SW) e 15 no modelo MPS de Serviços (MPS-SV). No exercício de 2014, foram avaliadas 82 organizações, oito delas no exterior (cinco na Colômbia, uma na Argentina e outras duas avaliações conjuntas MPS de Software e MPS Serviços no Uruguai).

Outro resultado positivo envolve a área de internacionalização com a inauguração dos HUBs Softex em Nova Iorque e em Singapura, além do sucesso das 94 ações de promoção comercial realizadas, entre elas, a participação em 47 feiras no exterior.

ilustraçao-principal

“No período de agosto de 2012 e agosto de 2014, o projeto setorial desenvolvido pela Softex em parceria com Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex-Brasil contribuiu para um incremento de mais de US$ 530 milhões em vendas para o exterior e para a geração de empregos especializados, agregando valor à pauta de exportação nacional. Esse volume representa um crescimento superior a 32,5% em relação ao desempenho registrado em 2012. Hoje, de cada US$ 4 exportados em TI, US$ 1 provém de programas desenvolvidos pela Softex”, comemora Ruben Delgado.

Para 2015, várias ações são desenvolvidas, segundo Ruben Delgado. “Para este ano, temos o Projeto Setorial realizado em parceria com a Softex, em que de 269 empresas aderidas ao projeto, 135 têm exportações regulares; vamos desenvolver ações para incentivar a internacionalização para que as empresas pensem de maneira global e utilizem a tecnologia da inovação: estão previstas ações em Londres, Nova Iorque, São Francisco envolvendo empresas e também startups; temos como meta capacitar 20 mil novos alunos para o Brasil Mais TI, programa que traz novidades como robôs de vagas, tutor virtual, nova área de treinamento de professores, modelo de competências”, conclui.